Fotoenvelhecimento, alimentação é sua aliada

Fotoenvelhecimento, alimentação é sua aliada.

Com a aproximação da estação mais quente e mais esperada do ano pelos brasileiros, há um aumento natural na exposição direta e indireta à luz solar. E com isso há também aumento da exposição a seus riscos e benefícios.

Fotoenvelhecimento, alimentação é sua aliada 

 A radiação ultravioleta (UV) possui diversos efeitos danosos à saúde humana, que são parcialmente atribuídos a consequente geração de espécies reativas de oxigênio. Esses efeitos incluem queimaduras por exposição solar (que podem ser reduzidas por altas doses de antioxidantes combinados), dano indireto ao DNA e fotoenvelhecimento. Durante a exposição à radiação UVA, a pele é frequentemente exposta à ação do oxigênio singlet, promovendo o envelhecimento cutâneo.  

Os fatores de estresse na pele humana (como a radiação UVA) podem induzir a produção de radicais livres que reagem imediatamente com os antioxidantes presentes na pele, podendo promover danos, desorganização e até destruição. Altas quantidades de radicais livres são produzidas nas camadas superiores da pele, principalmente na epiderme, após a exposição solar. 

Em uma revisão publicada em maio de 2011, pesquisadores alemães indicaram que a radiação UV do sol é um dos fatores que pode promover a redução dos níveis de antioxidantes na pele e que o envelhecimento cutâneo prematuro é menor em pessoas que apresentam altos níveis de antioxidantes nos tecidos, com sulcos e rugas menos profundos e densos. 

Nessa época do ano, onde muitas pessoas querem aparecer com a pele bronzeada, alguns cuidados são fundamentais para um bronzeado saudável. Dentre as muitas ferramentas disponíveis, a Nutrição pode contribuir de forma significativa, promovendo não só a manutenção do bronzeado, mas também a saúde da pele.  

Esses benefícios são atribuídos principalmente a dois tipos de carotenoides – licopeno e betacaroteno, como veremos a seguir:  

O licopeno e o betacaroteno representam a maioria dos carotenoides presentes na pele e no plasma, refletindo uma função específica desses compostos na foto proteção, sendo que a concentração de antioxidantes na pele está inversamente relacionada à ocorrência de rugas.  

LICOPENO

Fotoenvelhecimento, alimentação é sua aliada 

 É um tipo de carotenoide sem atividade pró-vitamina A, de característica lipossolúvel que protege os alimentos dos efeitos tóxicos do oxigênio e da luz.

Sua principal fonte dietética é o tomate, seguido pela goiaba, melancia, toranja e mamão papaia.          

Devido a sua ação antioxidante, o licopeno pode ser um promissor agente oral para a fotoproteção, já que após a suplementação dietética, a concentração de licopeno na pele é aumentada, fornecendo proteção contra danos causados pela radiação UV. Por outro lado, o consumo dietético, na forma de 55g de molho de tomate (que fornecem 16mg de licopeno) também promove resultados positivos, melhorando os aspectos agudos e crônicos do fotoenvelhecimento. 

A suplementação de licopeno é considerada segura, não toxica, sem efeitos colaterais, em doses que variam entre 6 e 60mg/dia, mesmo por longos períodos. 

 

BETACAROTENO

 

        Fotoenvelhecimento, alimentação é sua aliada

Fontes de betacaroteno: laranja, cenoura, abóbora, manga, espinafre, brócolis, couve, agrião, beterraba…

O betacaroteno é o carotenoide mais abundante nos alimentos e é considerado o mais importante para os humanos, pois pode ser convertido em retinol, sendo identificado como carotenoide com atividade de pró-vitamina A. 

O betacaroteno também tem importante ação na proteção da pele contra o foto envelhecimento. Para exercer uma ação fotoprotetora, com proteção contra queimaduras solares, é necessário um tempo mínimo de consumo de 10 semanas, já que são necessários entre 5 e 20 dias para se alcançar níveis séricos estáveis. 

A suplementação diária de 30mg de betacaroteno já é suficiente para promover efeitos positivos sobre o fotoenvelhecimento, reduzindo rugas, aumentando a elasticidade, melhorando a expressão de pró- colágeno e reduzindo os danos cutâneos causados pela radiação UV. 

 

Apesar da existência de controvérsias sobre a suplementação em indivíduos fumantes e da ausência de dados sobre a toxicidade do betacaroteno, o consumo de doses superiores a 30 mg/dia por longos períodos de tempo pode causar carotenodermia (coloração alaranjada da pele, principalmente nas palmas das mãos e nas plantas dos pés) – porém a suspensão e/ou redução das doses promove o desaparecimento desse sintoma. A possível explicação para ausência de efeitos tóxicos pode ser o fato de que a absorção de betacaroteno é dependente da concentração endógena.  

Spirulina e Chlorella também são importantes complementos alimentares ricas em clorofila que podem promover  uma desaceleração do processo de envelhecimento da pele devido a sua forte ação antioxidante. (Eur J Dermatology, 2008). 

Estudo publicado em 2005 (Am. J Cl Nitrition), demostrou que o consumo do Chá verde pode também ser um fator Nutricional de aumento da fotoproteção principalmente pela ação do 3 Galato Epigalocatequna, que é om polifenol  que tem  potente ação antioxidante na saúde humana. 

A Romã, principalmente pela presença do ácido elágico, apresenta potente ação antioxidante diminuindo o estresse oxidativo provocado pela exposição à radiação solar também é um alimento que pode contribuir na prevenção do envelhecimento precoce. 

Fotoenvelhecimento, alimentação é sua aliada.

Fonte: Dr. Marcelo Guedes – Nutricionista CRN 14575

Licopeno

Betacaroteno

Romã

Chorella

Spirulina