Chocolate – Benefícios do Polifenóis do Cacau

Chocolate – Benefícios do Polifenóis do Cacau: Estudos epidemiológicos sugerem que o consumo de chocolate, com altos teores de cacau, pode trazer alguns benefícios para a saúde humana reduzindo a pressão arterial e a incidência de doenças cardiovasculares. Os potenciais efeitos benéficos do chocolate com alto teor de cacau na saúde vascular são devido à elevada quantidade de antioxidantes fenólicos. Os principais compostos fenólicos presentes no cacau pertencem à classe dos flavonóides, como: catequina, epicatequina e procianidinas. Outros compostos também são encontrados no cacau, incluindo ácidos hidroxibenzoicos (gálico, seríngico, protocatequínico, vanilínico), ácidos hidroxicinâmicos e análogos (cafeico, ferúlico, cumárico, clovamida), flavonas (luteína e apigenina) e flavononas (naringerina).

cacau chocolate doce

Estudos realizados em cultura de células humanas e em animais indicam que os polifenóis do cacau podem exibir propriedades antioxidantes, antiinflamatórias e antiaterogênica. Os alvos moleculares incluem a inibição do fator nuclear kappa B (NFKB), óxido nítrico sintase endotelial e enzima conversora da angiotensina, que explicam parcialmente os benefícios dos polifenóis do cacau na saúde cardiovascular.

Uma revisão de vários estudos feita por pesquisadores da universidade da Califórnia e publicada na revista American Dietetic Assosiation, em fevereiro de 2003 mostrou que o chocolate escuro/amargo elaborado com o cacau puro e sem adição de gorduras do leite, contém alto teor de flavonóides, que tem excelente ação antioxidante na proteção contra as doenças cardiovasculares entre outras. Ressalta-se que o cacau apresenta quantidade considerável de ácido oléico que é uma gordura monoinsaturada (a mesma do azeite). Um estudo publicado na edição de dezembro da revista científica Southern Medical Journal ajuda a explicar os efeitos benéficos do chocolate amargo para a saúde cardiovascular.

Os resultados indicam que, apenas com uma semana de consumo do chocolate, há uma melhora no colesterol, na inflamação e na coagulação sanguínea.

Acompanhando sete dias de ingestão regular de chocolate amargo (que oferecia o equivalente a 700mg de flavonóides por dia) por 28 voluntários saudáveis, os pesquisadores notaram uma queda de 6% nos níveis de colesterol “ruim” (LDL), um aumento de 9% no colesterol “bom” (HDL) e uma diminuição da reatividade plaquetária, reduzindo os riscos de entupimento das artérias. Além disso, apenas entre as mulheres, houve redução dos níveis sanguíneos do marcador inflamatório proteína C reativa ultra-sensível.

No entanto, estudos de biodisponibilidade em humanos sugerem que as concentrações plasmáticas dos polifenóis do cacau são menores do que as concentrações utilizadas nos estudos in vitro. Isso porque a quantidade necessária para obter esses efeitos se deve com a ingestão de 100g de chocolate amargo por dia. Desse modo, os estudos também ressaltam que, dependendo do fabricante, o chocolate é uma rica fonte de açúcar e gordura saturada, fatores questionáveis para ser recomendado como parte de uma estratégia nutricional no intuito de promover a saúde cardiovascular.

Bibliografia (s):

Rimbach G, Melchin M, Moehring J, Wagner AE. Polyphenols from cocoa and vascular health-a critical review. Int J Mol Sci. 2009;10(10):4290-309.

Rimbach G, Egert S, de Pascual-Teresa S. Chocolate: (un)healthy source of polyphenols? Genes Nutr. 2011; 6(1): 1-3.

Mehrinfar R, Frishman WH. Flavanol-rich cocoa: a cardioprotective nutraceutical. Cardiol Rev. 2008; 16(3): 109-15.

Salvador I. Atividade antioxidante e teor de resveratrol em cacau, chocolates, achocolatados em pó e bebidas lácteas achocolatadas. Dissertação de Mestrado. Orientador: Alencar SM. Universidade de São Paulo: Centro de Energia Nuclear na Agricultura; Piracicaba, 2011.

Fonte: Marcelo Guedes – Nutricionista

Loja dos Naturais

Comentários estão fechados.